Perdão (oferecer a outra face): um princípio da sabedoria cristã

Perdão é um ato desafiador que precisamos exercer em nossos corações. Em várias fases da vida, tenho lidado com o desafio de realmente liberar o coração para pessoas mais próximas, pois, as ações delas conosco são as que mais marcam. Maria Angélica, colabora hoje com um texto motivador sobre nós, mulheres cristãs, exercermos o perdão de maneira voluntária e em busca de honrar a Deus.

Vamos falar sobre perdão…

Cotidianamente, somos convidadas a oferecer a outra face, exercendo assim um princípio da sabedoria cristã. Nesse post eu quero ressaltar a importância de cumprir esse mandamento do Senhor Jesus para sermos verdadeiramente Luz no nosso dia a dia.

Nós somos compostas de razão e emoção, ambos são essenciais e devem estar equilibrados. Mas, sabemos que há momentos em que nossa emoção quer comandar de qualquer jeito!

Um exemplo real é quando alguém chama a nossa atenção na frente de outras pessoas, ou durante uma briga de casal, ou então quando nos sentimos injustiçadas por algum falso julgamento. Nesses casos, a emoção fala mais alto e agimos meio que instintivamente, na tentativa de sair por cima daquela situação.

Várias podem ser as justificativas para essa ação, como por exemplo não se deixar ser humilhada em público, ou mostrar que sua opinião é a correta, ou ainda mostrar que o que a pessoa está falando sobre você é mentira. Claro que tudo isso é compreensível, mas há uma forma mais sábia, e cristã, de agir nesses casos. Porém, vamos entender primeiro por que agimos assim.

Quando a emoção fala mais alto que o perdão

Como eu falei, somos compostos de razão e emoção. A razão é nosso freio.​ É ela quem diz para nós tomarmos cuidado, para nós reavaliarmos as decisões, para nós termos cautela ao tomar uma atitude. Já a emoção é o impulso​. Por meio dela, também, sonhamos, planejamos o nosso futuro e traçamos objetivos.

Quando deixamos a emoção falar mais alto, porém, podemos nos prejudicar. Isso porque agimos no automático, sem pensar nas consequências.​ Eu acredito que todas nós já passamos por algum momento assim, e, logo depois que agimos no automático, vem aquela sensação de “que burrada que eu fiz”.

E aí, o que fazer para consertar o que foi feito? Difícil né!? Mas, calma, isso não quer dizer que nós temos que ser racionais demais!…

Agir 100% na razão torna a pessoa fria e calculista​, apelidada de “sem coração”. Já, agir 100% na emoção, torna a pessoa sentimental demais, explosiva, sensível e “coração mole”. Então, o melhor a se fazer é achar um equilíbrio entre razão e emoção para que se tenha o poder da análise ao tomar atitudes, além de saber decidir com o coração, quando for necessário.

Agir no automático pode ferir e prejudicar o perdão

Nós, mulheres cristãs, temos que ter sabedoria na hora de falar e de tomar alguma atitude que possa ferir ou da qual possamos nos arrepender posteriormente. Se você já passou por um momento em que ouviu palavras ofensivas, sabe o quanto isso dói! Mesmo que a pessoa te peça perdão, as palavras ficam marcadas em você.

Ou mesmo se você já tomou alguma atitude da qual se arrependeu (não necessariamente pecado), sabe o quanto essa lembrança pode ter demorado para passar, ou você pode ter demorado a superar isso. E é exatamente essa a parte ruim de se agir com a emoção. ​Pois, agir sem pensar nos traz dores, ou causa dores em outras pessoas.

Em Tiago 3:1­14 encontramos uma reflexão sobre “o poder” da língua, que apesar de ser um pequeno órgão, “se vangloria de grandes coisas” (versículo 5 a). A língua, aqui, também é comparada com uma pequena fagulha que incendeia grandes bosques (5 b), e com um leme que direciona grandes navios (v. 4).

Conseguir frear as palavras é uma prática muito comentada na Palavra de Deus. Em Provérbios 17:28 a Bíblia fala que “até mesmo o tolo passará por sábio, se conservar sua boca fechada; e, se dominar a língua, parecerá até que tem grande inteligência”. Então, cabe a nós vigiarmos ​para não cairmos na tentação de agir pela emoção, pois, isso também faz parte do testemunho cristão: “abençoai, e não amaldiçoeis” (Romanos 12:14 b).

Aliás, abrindo um parenteses aqui, julgar, maldizer, apontar o dedo ao nosso irmão também é uma forma de agir no automático e, não só isso, uma forma de ferir o outro.

Temos visto muito disso no meio cristão, e até nós mesmas fazemos isso. O povo de Deus tem que ser diferente dos demais, tem que demonstrar amor em toda sua maneira de viver e de tratar as outras pessoas, inclusive nossos irmãos da igreja. Sobre isso Jesus nos falou em Mateus 7:12 a : “portanto, tudo quanto quereis que as pessoas vos façam, assim fazei-­o vós também a elas (…)”. Eu acredito que ninguém gosta de ser julgado, apontado ou crirticado, então, igualmente, não devemos fazer isso ao próximo, “pois esta é a Lei e os Profetas” (Mt. 7:12 b).

Perdão: oferecer o outro lado da face

Ter equilíbrio entre a razão e emoção não é apenas uma boa prática para a convivência saudável em sociedade, mas também é uma boa prática para nossa espiritualidade. Em Lucas 6:29 está escrito: “o que te bate numa face, oferece­lhe igualmente a outra”. E me questionando sobre o significado desse versículo, no nosso dia a dia, Deus me ensinou na prática! Como falei no início do post, é muito fácil agirmos na emoção para sair por cima de alguma situação em que fomos injustiçadas.

Pensando racionalmente, ou como seres carnais, isso é plenamente justificável, até porque quem é “doido” de sofrer um dano público, por exemplo, e ficar calado? Ninguém é, mas nós somos! (risos). Quando Jesus falou aquela frase, o que me parecia era exatamente isso: quando for humilhada, humilhe-­se mais um pouquinho.

Parece estranho, não é!? Mas, é bem assim. Não quer dizer que Jesus goste que sejamos humilhados ou que goste que passemos por momentos de vergonha (ou qualquer outra coisa). Quer dizer que, até nisso, temos que dar exemplo de sabedoria.​

E o que é oferecer a outra face na prática? Eu vou contar o exemplo que me inspirou a escrever este post. Oferecendo o outro lado da face na prática, certo dia uma colega do serviço, com a qual eu tinha uma certa afinidade e até amizade, deixou de falar comigo. Na verdade eu percebi que em alguns momentos ela falava e outros não.

Eu confesso que fiquei bem chateada com isso, pois, gostava muito dela. De início eu agi da mesma forma que ela agia comigo: a ignorava. E quando ela trocava umas palavras comigo, eu era bem fria e seca. Foi então que Deus, com seu infinito amor, sussurrou em meu ouvido: “o que te bate numa face, oferece-­lhe igualmente a outra”. E como negar um convite suave de Deus? Logo eu perguntei ao Senhor: como fazer isso, nesse caso? E Ele me disse: ­“faça diferente do que ela está fazendo. Continue a tratando como antes”.

Claro que a nossa amizade não voltou a ser a mesma, por alguns motivos, mas o meu coração se sentiu bem melhor​depois que eu cumpri essa orientação do Senhor. Pois, percebi que, ao fazer isso, a mágoa ou chateação que estavam no meu coração saíram e deram lugar ao perdão.

Oferecer a outra face é um ato de perdão

Quando Jesus nos disse para oferecer o rosto ao nosso agressor, Ele quis dizer: não aja igual, não seja igual a ele, perdoe!​ É como se você dissesse: “você me feriu, isso que você fez doeu, mas eu não mudarei meu sentimento com relação a você, e te perdoo por isso.” E, engraçado é que os tapas que mais doem são das pessoas mais queridas, com as quais temos mais afinidade, amizade e até amamos.

Seja o marido, os pais, as amigas ou outra pessoa… Um tapa deles dói demais! E, por isso, outra coisa que aprendo sobre oferecer o outro lado é ter compreensão.​ Isso porque, no começo do post, eu falei que é compreensível agir na emoção. Então, quando uma dessas pessoas queridas agem com emoção conosco, nos ferindo e magoando, o que devemos fazer é compreender, nos colocando no lugar delas.

Isso é, nada mais nada menos, que o cumprimento do versículo que se encontra em Mateus 7:12 (que eu citei anteriormente). E, para finalizar, foi para isso que Deus nos chamou para o Evangelho: para sermos a diferença, “sal da Terra de luz do mundo”! E é nessas pequenas coisas que o nome do Senhor é mais glorificado: quando todos tomarem um tipo de atitude, nós tomamos outra atitude.

Para muitos, isso é irracional, mas que todos vejam o exemplo de servas de Deus nas nossas vidas: “com toda humildade e mansidão,​com paciência, suportando-­vos uns aos outros em amor” (Efésios 4:2).

“Assim, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revesti-­vos de um coração pleno de compaixão​, bondade, humildade, mansidão ​e paciência” (Colossenses 3:12).

“Deves saber corrigir com mansidão os que se te opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda o arrependimento, conduzindo­-os ao pleno conhecimento da verdade” (Timóteo 2:25). E, acredite você ou não, tem pessoas sedentas por exemplos ​assim! Que o Senhor possa nos conduzir, todos os dias, por esse caminho de compreensão, mansidão e amor!

maria-fala-sobre-perdao

Maria Angélica é cristã, casada, funcionária pública, Blogueira e YouTuber à frente do “Ser Quem Sou”. Acredita que a vida cristã deve ser simples e descomplicada, baseada no amor. Acompanhe o canal e se inscreva neste link AQUI